Frida Kahlo – As Duas Fridas…que vivem em mim!

Frida Kahlo – As Duas Fridas…que vivem em mim!

Nesta obra, As duas Fridas, de Frida kahlo se trata da separação do marido Diego Rivera. Ao  ao fundo  remete ao clima nebuloso que ela estava vivendo.

As duas sentadas em um banco como duas amigas que se encontraram para conversar. A Frida da direita, com suas roupas mais folclóricas  segurando um pequeno retrato de Diego(seu marido).

Seguindo uma artéria que irriga seu coração inteiro e completo, dando apoio para a outra Frida mais inocente, que tem seu coração pela metade.

A mesma artéria leva para outra mão, onde mostra uma tesoura cirúrgica tentando pinçar a artéria para estancar o sangue, mas que ainda assim sangra, caindo no seu vestido branco, espalhando manchas difíceis de sair.

Frida kahlo, ( 1907 a 1954), artista mexicana, foi antes de tudo uma mulher que enfrentou bravamente  dores físicas e emocionais. Ela nunca teve a pretensão de se tornar uma reconhecida pintora, ela dizia que pintava para esquecer.

Quando criança adquiriu paralisia infantil, mas isso não a abateu, com o apoio de seu pai praticava luta para fortalecer sua musculatura acometida pelas consequências da doença.

Depois de adulta sofreu um acidente de ônibus sofrendo graves fraturas pelo corpo. Ficou acamada por muito tempo,  disse que começou a pintar para não ficar entediada.

Posteriormente já recuperada, conheceu e casou-se com um importante artista, Diego Rivera.

Frida gostava de agradar seu marido, colocava as flores na cabeça, se vestia com saias típicas do folclore mexicano. Se fez uma bonequinha, dizia que Dieguito gostava.

Para acompanhar o marido, foi para os Estados Unidos e passou alguns anos lá, mas não gostava. Ela preferia o México, dizia que os gringos tinham cara de pão cru.

Frida tinha uma dor emocional muito grande, não conseguia evoluir em  suas gestações, passou por abortos complicados.

Mais tarde sofreu um golpe, a dor da traição, não que seu marido fosse algum santo. A traição  foi com a irmã mais nova e preferida de Frida.

Ela então se separou do marido e a primeira atitude que tomou foi cortar seu longo cabelo e tirar as roupas folclóricas.

Assim Frida tentava se desintoxicar do marido. Mas depois de um tempo voltou a se casar com ele.

Mesmo com toda a sua independência e sua visibilidade já como artista, era Diego que ela queria que estivesse ao seu lado, e quando por algum motivo estavam separados, sua saúde também se debilitava.

 Frida atingiu a notoriedade fora e dentro do México, suas obras foram consideradas como surrealistas, o que a irritou bastante,  ela disse: Não pinto sonhos, pinto a minha realidade!

Para saber mais sobre este mundo da arte, conheça nosso curso.

Curso online – Introdução à Historia da Arte.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: